terça-feira, 14 de julho de 2015

A "lei do parto normal" e a cesárea eletiva

Postado por Erika Gomes às 20:32
Faz tempo que não posto aqui no Blog, mas como postei na página quero muito voltar! E ultimamente, vendo toda essa movimentação em relação à "lei do parto normal" e me deparando com essa imagem precisei escrever sobre..


Primeiro, a "lei" não é querendo obrigar ninguém ao parto normal. Como (poucos) sabemos, o Brasil tem altas taxas de cirurgias cesarianas desnecessárias, a OMS orienta que seja até 15% e aqui são 40% na rede pública e 84% na rede privada! Ou seja, em nosso país, 32,8% dos partos são por meio de cesáreas.
Mas afinal, o que causa tudo isso? São realmente todas as mulheres cesareadas que precisavam passar por uma? NÃO. Então qual o motivo de tantas cesarianas? Se resumem em 3 itens:
1- Desatualização médica: cordão enrolado, bebê "grande/pequeno", muito/pouco líquido, mãe muito magra/gorda... muitos médicos ainda usam esses motivos para levar a gestante à "cair na faca". Essas justificativas NÃO SÃO indicações de cesariana. (Para mais informações recomendo o blog da Dra Melania Amorim: http://estudamelania.blogspot.com.br/2012/08/indicacoes-reais-e-ficticias-de.html?m=1 )

2- comodidade médica: qual médico quer deixar de receber do plano de saúde por um dia todo de consultório para atender por sabe-se lá quantas horas um trabalho de parto? Sinceramente, nenhum. Muitos preferem ter uma agenda organizada, realizar várias cirurgias por dia, lucrar mais e, melhor ainda, não terem imprevistos e curtirem seua fins de semana.

3- Gestante com medo: isso é o fundamental pra uma gestante ser incentivada à uma cesariana, "dói muito" "você vai implorar pela cesaria" "é perigoso" "vai ficar larga" e muitos outros incentivos (só que não) levam as mulheres a acreditarem que não são capazes de parir! Mas seus corpos são SIM feitos para isso. O que precisamos é de muito apoio, informação (não só a grávida mas também é essencial que o acompanhante também saiba dos direitos dela na hora do parto para ajudar). E principalmente de um profissional da área que seja atualizado, dedicado e disposto à dar a melhor assistência àquela mulher nesse momento tão delicado e maravilhoso. Que saiba avaliar bem a situação e passar tranquilidade, que é o que precisamos. Sei que é difícil (e caro) de encontrar, mas esses profissionais existem, e vale muito a pena! Se eu soubesse o que passaria no meu parto (leia meu relato aqui) teria me empoderado muito mais.

Mas enfim, o que muda sobre as cesarianas agora em diante?

- Se você deseja a realização da cirurgia, mediante à assinatura de um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, poderá ser realizada eletivamente (e inclusive coberta pelo plano de saúde).
Encontrei os dois modelos seguintes na página do Facebook "Eu Escolhi Cesárea".



-Todos os planos de saúde terão que informar às gestantes que solicitarem a porcentagem de cesarianas realizadas pelos médicos e maternidades que têm atendimento coberto pelo mesmo. O que, com certeza, vai influenciar e muito na escolha de uma gestante que pretende ter um parto (já que algumas maternidades tem taxas de até 95% de cesarianas).

Em resumo, se você pretende ter uma cesariana, nada muda, mas a tal "lei" do parto serve de incentivo para a redução de cesarianas, o que já é um belo começo no país recordista no procedimento! Vou acabar por aqui mas logo eu volto, falando mais sobre parto, beiiijos <3 p="">

0 comentários:

Postar um comentário

 

Vivendo Para Dois Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos